Resenha: Não fuja!

Título: Não fuja!
Autora: FML Pepper
Sinopse:
Ciente do tempo que se esgota e em meio à sangrenta batalha que se desenvolve em seu coração, Nina parte em busca das suas respostas e verdades. Ela enfrentará traições, lendas e sofrimento para finalmente descobrir que o poder transformador que penderá a balança para o bem ou para o mal estava bem mais perto do que ela podia imaginar, na tênue linha que separa a vida da morte. Aceitaria sua morte para salvar as pessoas que ama? Que caminho seguir agora que Nina se sente viva pela primeira vez na vida?
Vida. Morte. O que há entre elas? Antes e depois delas? Dois universos tão distintos e intimamente ligados. Como não sucumbir ao desejo que lhe drena a vida? Como aceitar que existe morte em vida e vida na morte? O que fazer quando a morte é a centelha que pulsa na vida, embebida de escuridão? A bússola da existência gira e aponta: o medo é uma opção; a vida, uma batalha; a morte, uma bênção.
Olá pessoal, tudo bem com vocês?

Estou aqui trazendo para vocês o terceiro e último livro dessa trilogia da FML Pepper. A trama me agradou muitíssimo e ganhou um espacinho no meu TOP 10 livros favoritos.

A resenha dos outros livros da trilogia você encontra aqui: 

Não indico o prosseguimento na leitura desta resenha se você ainda não leu os outros livros! Continuar será por sua conta e risco… depois não diga que eu não avisei.

O livro começa mantendo toda a tensão do final de seu anterior e Nina agora se vê determinada a parar de tentar fugir dali, daquela dimensão, e lutar. Recuperar tudo que lhe foi tirado e encontrar todas as respostas da sua conturbada e inexplicada existência.

Ao decidir permanecer ali, coloca a vida de todos em um risco ainda maior. Todos foram presos pelo Conselho e pagarão por terem se envolvido com ela. Mas Nina não pretende ficar de braços cruzados e deixar tudo se perder, agora ela quer respostas e está disposta a ir aos locais mais improváveis para encontrá-las.
Então ela decide escapar dali e ir até Marmon, o único clã que ela não tinha ido ainda, atrás de pistas sobre sua mãe e seu passado, mesmo com Richard dizendo para ela não ir porque é uma armadilha e eles contam com uma ajuda bem improvável (não vou contar, hehe) para chegar até lá.

Ela, então, encontra boa parte das respostas que procura e toma as últimas decisões para acabar com aquele conflito, sobreviver e salvar aqueles que são importantes para ela. E nesse ponto que começamos a perceber o amadurecimento dela, o ponto em que ela deixa de ser aquela garota birrenta e inconsequente que era meses antes. Ela começa a pensar melhor e a agir.

Todas as alianças improváveis e prováveis feitas até ali são testadas e muitas reviravoltas inesperadas (a grande maioria, pelo menos) nos tiram o fôlego. Muitas delas me revoltaram e outras me deixaram bem animada na leitura.

A “relação” de Nina e Richard e seus sentimentos são colocados à prova a todo instante deixando o leitor com bastante dúvidas sobre a veracidade do amor deles. E acredito que essa tenha sido a maior parte da evolução pessoal de cada um deles, começar a entender eles mesmos e esse sentimento e amadurecer com isso para enfrentar o resto dos problemas que os cercavam.
Mamãe uma vez me disse que o amor não precisava de explicações. Ela não podia estar mais certa. Não havia razão que domasse o amor febril que trepidava dentro de mim. Precisei passar por todas as tragédias e perdas para entender que meu coração não era masoquista, mas sim tão selvagem quanto o par de olhos azul-turquesa que o fazia pulsar freneticamente.
Fiquei com um ódio mortal de uns personagens em alguns momentos e alguns deles eu perdoei depois que entendi os seus motivos e tudo mais, mas nem todos… porque tem “fins que não justificam os meios”.

Eu devorei a história, o final da aventura em Zyrk realmente me pegou de surpresa e eu gostei muitíssimo da conclusão de todo o enredo.
A única coisa que não foi esclarecida é o porquê de Nina e Rick não terem conseguido se relacionar na primeira tentativa, foi dito que a Brita descobriu a razão mas ela não foi contada… eu tenho meus palpites mas gostaria que tivesse sido esclarecido. :(
Fora isso todas as pontas soltas foram costuradas e bem amarradinhas, respondendo todas as dúvidas que nos consumiram durante a leitura da trilogia.

Eu não comentei sobre a qualidade dos livros até agora, então, para não matá-los de curiosidade quanto a isso, quero ressaltar que as capas são lindas e condizem muito com o contexto da história e eu gostei muito mais das capas da segunda edição do que das da primeira (me julguem, rs) e a diagramação é muito bem feita também. A editora Valentina realmente caprichou. :)

Nota:



O post original desta resenha foi feito em 05/10/2016 e você pode conferi-lo clicando aqui!

E aí, o que acharam? Vocês já leram esse livro ou tem vontade de ler? Eu indico a leitura desta trilogia, garanto que não vão se arrepender!
Deixem seus comentários!

Boa leitura! Beijos.
0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário