Resenha: Em busca de Cinderela

Título: Em busca de Cinderela
Autora: Colleen Hoover
Sinopse:
Neste conto da bem-sucedida e adorada série Hopeless, o leitor conhecerá melhor dois personagens secundários de “Um caso perdido”. Daniel está no breu do armário de vassouras da escola – o perfeito esconderijo para quem quer fugir do mundo real –, quando uma garota literalmente cai em cima dele. Às cegas, os dois vivem um curto romance, mesmo sem acreditar muito no amor. No fim a garota foge, como se realmente fosse a Cinderela e tivesse uma carruagem prestes a virar abóbora. Um ano depois, Daniel e sua princesa se reencontram, e percebem que é possível nutrir um amor de conto de fadas por alguém completamente real. Juntos, os dois irão perceber que fora do faz de conta, ficar juntos é bem mais difícil e os problemas de um casal são muito reais.


Olá, tudo bem com vocês? :)

Estou trazendo hoje a resenha de Em busca de Cinderela, último livro da série Hopeless, que é um conto “paralelo” a trama principal. É de partir o coração quando nossas histórias favoritas terminam e esse é um desses casos, mas vamos lá.

Para ler este conto da série, é recomendado que você tenha lido os dois livros antecessores, para poder conhecer os personagens envolvidos na trama. Mas, não é obrigatório, até porque em Um Caso Perdido, Daniel e Six mal são citados e em Sem Esperança tudo que é citado a respeito de Daniel é repetido e até com mais detalhes neste livro.


{ Para ler a resenha de Um Caso Perdido, primeiro livro da série, clique aqui! }
{ Para ler a resenha de Sem Esperança, segundo livro da série, clique aqui! }

A trama, desta vez, não foca em Sky e Holder e sim em Daniel {melhor amigo de Holder} e Six {melhor amiga de Sky}. Apesar de Sky, Holder e nosso querido Breckin serem personagens secundários bem frequentes nela.
Ela tem Daniel como narrador e retrata toda a sua busca pela garota que ele conheceu no armário da escola e que simplesmente desapareceu. Ele tinha uma falha em seu horário de aula e se escondia no armário para que não descobrissem e numa dessas “fugas”, uma garota entrou no armário e após conversarem sobre o quanto eles odeiam todos ao seu redor, fingiram se amar apenas para tentar “conhecer” o amor, mesmo sem um saber quem o outro era. Depois disso, ela foi embora e eles nunca mais se viram, por isso Daniel seguiu com sua vida, se envolveu em um novo relacionamento {que era terrível} mas nunca esqueceu daquela garota do armário, a sua Cinderela.

Um ano depois, quando finalmente se “livrou” do relacionamento com Val, ele vai em busca de Sky e Holder para relaxar a mente e lá, no quarto de Sky, ele conhece Six. Ele se encanta instantaneamente por ela e Holder o proíbe de chegar perto dela para evitar problemas na amizade do grupo caso o relacionamento deles não desse certo.
Daniel usa essa proibição de Holder como desculpa no seu subconsciente para tentar algo com ela, como um desafio, mas a realidade é que ele realmente se sentiu atraído por ela. Depois de convidar Six para sair e descobrir o quanto eles tem em comum, eles começam a namorar num tempo super recorde e decidem fingir que se odeiam na frente dos demais para que Holder não ficasse bravo, mas a paixão deles era tão intensa e rápida que Daniel desiste de fingir e declara a todos o quanto aquele sentimento é real.

Isto é a realidade, mas nem mesmo na nossa realidade imperfeita as pessoas se apaixonam desse jeito. Elas não têm sentimentos tão fortes assim por alguém que mal conhecem.

Six, havia passado uma temporada fazendo intercâmbio na Itália e esconde alguma coisa relacionada ao que aconteceu por lá de Daniel e isso foi me prendendo e me motivando cada vez mais a ler o livro pra descobrir o que raios aconteceu. Acredito que não seja surpresa para ninguém que a tal Cinderela do armário seja a Six, ainda mais levando em conta o quanto a Colleen ama nos lembrar de que amores improváveis podem sim acontecer e que mesmo em meio ao desespero e a crueldade do destino, o amor leva as pessoas a seguirem em frente… Isso é lindo e apaixonante demais, sem dúvidas! No fim, quando eu pisquei, puff, já havia terminado o livro, hahaha. Li a obra num tempo tão recorde quanto o relacionamento deles demorou pra começar.
Os personagens secundários, além do trio citado, também são muito cativantes. A família de Daniel e a família de Six são muito engraçadas e isso cria um clima de descontração bem legal na trama, mostrando a vida como ela realmente é, com o lado bom e o ruim.

Os livros da Colleen são sensacionais e eu declaro meu amor pelas obras dela aos quatro ventos a todo tempo, mas esse livro me irritou e incomodou um pouco… Perante a todo o sistema de conscientização que ela cria no que escreve, o mistério central da trama foi deveras exagerado e a chance daquilo realmente acontecer é de uma em um trilhão na vida e vai contra a importância da conscientização que ela tenta passar.
Eu realmente gostei da trama do livro que, apesar dos exageros, serviu para me lembrar que ainda é possível encontrar o amor e que não importa o quão rápido ele comece, desde que dure e seja vivido intensamente. E ah, como toda boa ariana, eu amo intensidade! rsrsrs.

Há um único erro de tradução/revisão {que eu encontrei, ao menos} no livro por parte da editora Galera, na página 150 o Daniel está chamando a Six de Sky e você fica meio perdido(a) para entender a frase corretamente.

Nota:



Bem, é isso pessoal! Não deixem de conhecer essa trilogia fantástica que me fez morrer de tudo quanto é coisa ao mesmo tempo, de amor ao desespero, é uma história fantástica e marcante! 
Foi com essa trilogia que eu me apaixonei pela escrita da Colleen e eu a amo, rsrs.



O post original desta resenha foi feito em 25/09/2015 e você pode conferi-lo clicando aqui.

Beijos!
2 comentários via Blogger
comentários via Facebook

2 comentários

  1. Olá!
    Eu amo essa trilogia toda, mas Em Busca de Cinderela é meu favorito! Adoro a forma como a autora sempre trabalha esses segredos dos personagens.

    Beijão
    Leitora Cretina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Eu amo TUDO que a Colleen escreve mas essa trilogia tem um amor especial por ter sido a primeira que eu li dela. Também adoro como ela vai trabalhando e amarrando toda a história e os segredos, mas o meu favorito ainda é o primeiro... lembro-me até hoje de como muitas vezes fiquei sem ar durante a leitura, rsrs.

      Beijo!

      Excluir