Resenha: Fragmentados

Título: Fragmentados
Autor: Neal Shusterman
Sinopse:
Em uma sociedade em que os jovens rejeitados são destinados a terem seus corpos reduzidos a pedaços, três fugitivos lutam contra o sistema que os fragmentaria.
Unidos pelo acaso e pelo desespero, esses improváveis companheiros fazem uma alucinante viagem pelo país, conscientes de que suas vidas estão em jogo. Se conseguirem sobreviver até completarem 18 anos, estarão salvos. No entanto, quando cada parte de seus corpos desde as mãos até o coração é caçada por um mundo ensandecido, 18 anos parece muito, muito longe.

Olá pessoal, tudo bem?

Hoje estou trazendo a resenha de um livro que foi lido pelo nosso Projeto Quatro por 4. :)
É importante dizer que não vamos trazer para cá todas as resenhas do Projeto feitas até a data da migração, portanto deixarei disponível no menu acima "Quatro por 4" um link para vocês visitarem na nossa antiga plataforma as resenhas já feitas pelo nosso grupo. 
"Ah May, mas por que você está trazendo esse então?" - Porque, além deste ter sido o primeiro livro lido pelo Projeto, eu vou resenhar a sequência da história, então neste caso é válido migrar a resenha e deixar tudo organizado por aqui... o mesmo pode vir a acontecer com outros livros quando optarmos por ler suas continuações. :)

Vamos lá, então?!

A cada capítulo que lia, tentava absorver o tema da trama e enxergava como se o mundo realmente fosse assim, porque é algo possível. É repulsivo saber que a humanidade possa permitir atos tão absurdos. Senti o peso da realidade na vida dos Fragmentários, pois um dia você está lá sendo embalado pelo amor de seus pais e no outro eles simplesmente decidem que você não merece mais viver. No contexto político-cultural da trama, a Fragmentação se tornou um “negócio”, apesar de não ter sido criada nesse intuito. Para os familiares que descartam é o de “se livrar do que traz problema”, para o governo é reduzir o alto número da população problemática, para a medicina é o de estender a vida dos que receberão os “transplantes” com os órgãos e para a empresa que faz a “colheita” é o dinheiro ganho na venda dos órgãos. O que é surrealmente asqueroso… Decidirem por você sobre você e sobre a sua vida, te privando de um mundo onde você é você e não parte de outros. E o pior? A nossa sociedade na realidade não está muito distante disso.

Eu fiquei extremamente chocada com a obra, confesso que quando comecei a ler não esperava tanto do livro, mas nossa… ele é realmente muito bom. Te faz refletir sobre o conceito de sociedade do início ao fim. É demais!

O livro é narrado pelos personagens centrais e a escrita do autor é super gostosa de acompanhar e bem fluída. Mesmo sendo um livro com um tema super polêmico, questionador e reflexivo, o leitor é capaz de mergulhar na história e sentir plenamente o que se passa no ambiente. Quando você perceber, o livro já acabou e te deixa com aquelas sensações todas indescritíveis.
A diagramação do livro é super caprichada também e não me recordo de ter encontrado nenhum erro de revisão ou tradução.

Nota:



O post original desta resenha foi feito em 03/11/2015 e contém todas as visões e resenhas dos demais blogs participantes do projeto. Você pode conferi-lo clicando aqui.

Por favor, sintam-se a vontade para participar do projeto comentando o que vocês acharam sobre, se já leram o livro e tem uma visão similar ou diferente da nossa e etc.

Beijo!
0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário