Resenha: Todas as estrelas do céu

Título: Todas as estrelas do céu
Autor: Enderson Rafael
Sinopse:
Podem dois irmãos adotivos se apaixonarem um pelo outro?
Caroline e Leandro são dois adolescentes de uma bem resolvida família de classe média, ele adotado, ela filha biológica do casal Marco e Lúcia. Diante dos conflitos da adolescência, do colégio, do vestibular, ambos se vêem diante de mais um dilema: um amor impossível e todas as consequências da busca pela felicidade ao lado da pessoa amada. O desafio dos dois em entenderem o que passa consigo mesmos, em enfrentar os pais, a sociedade e suas próprias consciências são expostas neste romance honesto, ágil e de final surpreendente. Uma obra polêmica e doce ao mesmo tempo, com um tema inusitado, falado de igual para igual com os jovens ou mesmo para quem já passou da adolescência.

Olá, tudo bem com vocês? 
Estou quase finalizando as migrações das minhas resenhas, depois dessa faltarão só três. uhuul! \õ/

Vamos lá então…
O livro conta a história de Leandro e Carol, dois irmãos adotivos, que descobrem que sentem um amor diferente um pelo outro, diferente do amor que normalmente sentimos pelos nossos irmãos. É um tema polêmico porque a sociedade sempre vai olhar o lado “eles são irmãos” da coisa, apesar de serem irmãos apenas juridicamente.
A paixão e o relacionamento dos dois é o que o faz ter o título “Romeu e Julieta as avessas”, ao terem que enfrentar não suas famílias que se odeiam mas sim a sua família que se ama, os amigos e a sociedade.

Por mais que seja errado perante a lei e perante a família deles que sempre os viu como irmãos, porque são pais deles, eu me interessei pela proposta do livro e me apeguei ao “e se eles conseguissem mudar as regras e ficar juntos?”. Acho que me apeguei a esse “e se…” por já ter lido Angel Sanctuary, um mangá escrito por Kaori Yuki, que também tem como tema central o amor de dois irmãos, só que nesse caso os irmãos eram de sangue. (Não vou dizer “de verdade” pois irmãos adotivos também são irmãos de verdade. O importante, para mim, é a criação e a aceitação e não a geração).

A história deste romance “proibido” se passa no Brasil e tenta retratar paisagens belíssimas. Tenta e muito mal, eu diria. Claro que se você conhecer os lugares aos quais o autor está se referindo você consegue se localizar, caso contrário, você se perde bastante. Além disto, a passagem de tempo é mal demarcada, tudo parece acontecer de uma forma muito rápida devido a essa ausência.
Senti falta também, na narrativa, uma demonstração significativa dos sentimentos e experiências das personagens. Não sei se o autor tinha, na época, dificuldade de expressar sentimentos na escrita em terceira pessoa, mas eu senti bastante a necessidade de saber mais sobre as sensações de cada personagem, como uma forma de justificar aquele cenário todo… O autor não soube explorar os pontos fortes do sentimento de cada personagem e acabou relatando de maneira bem simplória as sensações e os problemas experimentados pelos personagens, deixando faltar uma exposição de seus sentimentos que nos fizesse senti-los também e entendê-los, porque quem lê o livro não consegue compreender tudo que se passa emocionalmente com os personagens e acaba enxergando que a história tem um final bem exagerado.
Fora isso, a narrativa do livro é bem ágil e é escrito de uma maneira simples e gostosa de acompanhar, além de ter poesias belíssimas.

À noite, quando só as estrelas me restam,
queixo-me à elas.
Falo à essas distantes amigas,
do meu amor, que enfadonha rima,
insiste em só rimar com ‘dor’…

Admito que as fantasias e os “e se…” que eu criei para a obra foram minhas motivações para a leitura, eu torci pelo casal e esperava um desenrolar diferente da história.
A proposta de reflexão do livro é boa porque nos leva a pensar sobre o que de fato é certo ou errado dentro da sociedade, o que pode ser mudado em nossas vidas para alcançarmos nossos objetivos, se vale a pena arriscar tudo e todos em prol do amor, como quebrar todas as barreiras e superar seus medos. Mas, no meu ponto de vista, ele careceu de conteúdo para expressar a densidade dos sentimentos dos personagens e essa carência trouxe a ele o aspecto de exagerado (jogado aos seus pés eu sou mesmo exagerado, adoro um amor inventado ). Ele poderia ter sido melhor trabalho e explorado porque, apesar das falhas citadas, é um romance lindo e que merecia mais para poder fazer jus ao título que porta. 

Finalizando a análise, acredito que é um livro que vale a pena conhecer pela sua proposta mas que não deve ser lido esperando muito dele, pois pode ser decepcionante.

Nota:

O post original desta resenha foi feito em 21/07/2015 e você pode conferi-lo aqui.

Gostaria de pedir para vocês comentarem com o que acharam do livro, se é que já leram ou se tem interesse em ler. 

Beijo gente, até a próxima!

0 comentários:

Deixe seu comentário