Quatro por 4: A química que há entre nós

Oi pessoal, tudo bem com vocês?

A leitura do Projeto está saindo bem atrasada este mês, mas o importante é que está saindo, rsrs.
Como eu e a May estamos sem computador em casa está bem complicado fazer posts com frequência, mas vai dar tudo certo e logo estaremos de volta com força total!

Nós estamos nos dividindo e revezando a leitura do Projeto aqui no blog, visto que temos três membros participando dele, então o livro da vez foi sugerido pela Flá aqui do Coelho da Lua mas eu que realizei a leitura - porque a May está com o coração peludo e não quer ler nada de romance - hahaha. 
Além disso, desde a resenha anterior do Projeto estamos usando novos termômetros com muito mais avaliações e emojis bonitinhos, ficou bem legal! Espero que vocês gostem também. :)

Enfim, vamos falar sobre o livro!

Título: A química que há entre nós
Autora: Krystal Sutherland
Tema central: Romance
Sinopse:
Grace Town é esquisita. E não é apenas por suas roupas masculinas, seu desleixo e a bengala que usa para andar. Ela também age de modo estranho: não quer se enturmar com ninguém e faz perguntas nada comuns.
Mas, por algum motivo inexplicável, Henry Page gosta muito dela. E cada vez mais ele quer estar por perto e viver esse sentimento que não sabe definir. Só que quanto mais próximos eles ficam, mais os segredos de Grace parecem obscuros. 
Mesmo que pareça um romance fadado ao fracasso, Henry insiste em mergulhar nesse universo misterioso, do qual nunca poderia sair o mesmo. Com o tempo, fica claro para ele que o amor é uma grande confusão, mas uma confusão que ele quer desesperadamente viver.

Análise da Camila, do blog A Bookaholic Girl:
A partir do primeiro parágrafo de A Química que há entre nós fui conquistada! Essa foi uma leitura maravilhosa! Apesar de ser um livro do gênero Young Adult cheio de clichês, eu adorei. A escrita da autora é atraente e muito envolvente, com capítulos curtos, várias referências da cultura pop e mistura de cenas extremamente tristes e hilárias. Um dos pontos que mais gostei foi a representatividade de personagens que fogem dos padrões de adolescentes no ensino médio no estilo corpo perfeito. Henry e Grace são tudo aquilo que não estamos acostumados a ver, bem como os personagens secundários. A partir do ponto de vista de Henry somos lançados aos mistérios que envolvem Grace, no seu passado obscuro. Os temas apresentados, são muito pertinentes e desenvolvidos com muito tato. Me fizeram refletir e chorar: o primeiro amor, perdas, relacionamento familiar, a preocupação com o futuro, faculdade e muitas inseguranças. Era o tipo de leitura que estava precisando no momento e super indico. Se tornou um dos meus livros favoritos do ano. <3 

Análise da Bia, do blog Books and Birds:
Iniciei a leitura sem tanto entusiasmo e conforme fui avançando, as surpresas começaram a aparecer. A cada novo capítulo, uma emoção e revelação diferente.
O livro não é previsível e muito menos trata-se de um romance, pelo contrário, ele nos fala de perdas e em como é difícil administrá-las. A autora consegue abordar um assunto pesado de modo cauteloso e com aquela pitada de humor inteligente. Não posso deixar de mencionar o quanto adorei os personagens secundários, eles foram fundamentais para o enriquecimento do enredo.

Análise da Geo, do blog Inícios Marcantes:
“Grace Town é uma charada embrulhada em um mistério dentro de um enigma” – e foi exatamente assim que me senti enquanto lia A Química Que Há Entre Nós. Narrado em primeira pessoa, acompanhamos toda a história pelo ponto de vista de Henry, um garoto que está na disputa pela vaga no jornal do colégio. E então, quando Henry menos espera, conhece o amor da sua vida. Mas não é bem como ele imaginava que seria. Conhecemos a Grace, uma garota cheia de mistérios. Quem é ela? Por que se veste e age assim? Esse livro não é bem uma história de amor, é como se Grace fosse uma droga que vicia Henry. Ele sabe o quão quebrada ela está, mas mesmo assim, se apaixona por ela.  Mesmo sabendo que tinha tudo para dar errado, ele se joga de cabeça. Não tem medo de sofrer, só quer amá-la e a ajudar ela como puder. Fiquei com dó dele, porque só era correspondido dependendo do “momento” de Grace, mas ao mesmo tempo ele não conseguia ficar com raiva dela por causa disso, só queria puxar ela de dentro das páginas para dar um abraço bem forte. Não podemos esquecer Murray e Lola! Aqui os personagens secundários não são só pra encher cenário. <3 Os pais de Henry também são um amorzinho <3 deu vontade de conhecer. O livro é recheado de referências Geeks e diálogos sensacionais (acho que nunca marquei tanto quote na vida hihi). É uma leitura rápida, os capítulos são curtinhos e a história te prende que você nem vê o tempo passar. Super indico!

E por fim, a minha análise:
Uma história​ encantadora, sem dúvida. Porém, confesso que não me agradou logo de cara. O enredo demorou um pouco a me prender, talvez pelo drama adolescente bem clichê.
Mas, felizmente, foi muito além disso, e acompanhar os sentimentos de Henry desabrochar, assim como seu amadurecimento, foi simplesmente magnífico.
Os/As (não lembro) personagens secundários também deixaram sua marca; os diálogos irreverentes e características únicas tornaram a leitura muito fácil. Depois de pegar o ritmo, vale muito a pena.
Entrou para a lista dos queridinhos, com certeza!


E vocês, o que acharam? Não deixem de comentar conosco!

O próximo livro do Projeto foi sugerido pela Geo e será lido pela Flá - a razão eu já citei no início do post, mas vocês vão confirmá-la logo abaixo.



Título: Todo dia
Autor: David Levithan
Editora: Galera Record
Ano: 2013
Edição: 1
Número de páginas: 280
Tema central: Romance




Vocês conhecem o livro? Se conhecem não deixem de dizer sua opinião e se não conhecem, bora ler com a gente!

Beijos, boa leitura!
Até a próxima!
0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário