Quatro por 4: Todo dia


Oi gente, tudo bem por aí? Por aqui, tudo ótimo.
A leitura desse mês foi sugestão da Geo, e que por unanimidade, todas nós queríamos ler!

Sobre o livro:
Título: Todo dia
Autora: David Levithan
Tema central: Romance
Sinopse:
Neste novo romance, David Levithan leva a criatividade a outro patamar. Seu protagonista, A, acorda todo dia em um corpo diferente. Não importa o lugar, o gênero ou a personalidade, A precisa se adaptar ao novo corpo, mesmo que só por um dia. Depois de 16 anos vivendo assim, A já aprendeu a seguir as próprias regras: nunca interferir, nem se envolver. Até que uma manhã acorda no corpo de Justin e conhece sua namorada, Rhiannon. A partir desse momento, todas as suas prioridades mudam, e, conforme se envolvem mais, lutando para se reencontrar a cada 24 horas, A e Rhiannon precisam questionar tudo em nome do amor.


Análise da Camila, do blog A Bookaholic Girl:
"Todo dia" foi um livro que me surpreendeu. Eu tinha uma ideia completamente diferente desse
Young Adult, e, até cheguei a pensar que era uma história que envolvia aspectos sobrenaturais ou de fantasia, mas não. A genialidade de David Levithan ao criar a obra, de certa forma tão improvável, e seus personagens marcantes me levaram à reflexão. Minha vontade era sair marcando o livro todo diante de tantos trechos que questionam o leitor sobre o amor, as aparências, relações humanas e o se colocar no lugar do outro. Confesso que o final fica meio incerto e espero “Outro dia” consiga responder às perguntas sobre A e Rhiannon. Gostei muito e recomendo. :)
Nunca vou compreender, não mais do que qualquer pessoa normal entenderá a própria existência. Depois de algum tempo é preciso aceitar o fato de que você simplesmente existe. Não há meio de saber o porquê. Você pode ter algumas teorias, mas nunca haverá uma prova.

Análise da Bia, do blog Books and Birds:
A, cada dia acorda em um corpo diferente e vive com o mesmo por apenas 24 horas. Ele consegue acessar as memórias e saber mais ou menos como é a pessoa através de alguns sentimentos e situações e apesar de estar presente em determinado corpo, ele sabe que não deve interferir e nem envolver, para não causar nenhum problema ou se decepcionar, porém, assim que conhece Rhiannon isso muda. Rhiannon é namorada de Justin e é uma pessoa muito contida e triste. A, quando a conhece sente muito pela situação que a mesma vive, sabe que o namorado não se importa com ela e mesmo sabendo que não deve interferir, acaba aproveitando suas 24 horas agradando a garota. Conforme os dias vão passando, ele continua trocando de corpo, porém, sua cabeça se mantem na jovem e é isso que o motiva a lhe contar sobre sua história.
Eu me surpreendi muito com o enredo, a escrita do autor nos faz ficar tão próximo com o personagem, que é como se estivéssemos passando pela mesma situação, contudo, apesar da história ser instigante, o desfecho deixa a desejar, inúmeras perguntas ficam sem respostas.


Análise da Geo, do blog Inícios Marcantes:
Li o livro em uma velocidade que até estranhei! Mas é porque eu fiquei doida para saber quem era o
A. O que ele era? De onde ele veio? A história toda me deixou ansiosa pra saber como ele seria ao acordar (eu compartilhava o estranhamento e o encantamento da Rhiannon). Estava indo tudo lindo, amando cada página, cada corpo que ele acordava me deixava surpresa e mais fascinada pela sua história, aí o livro acaba! Gente, fiquei doida da vida quando o livro acabou! Minha nossa, o que foi aquilo? Não podia ter acabado assim! Descobri que tem uma continuação, Outro Dia, mas não é bem uma continuação, e sim a história toda pelo ponto de vista da Rhiannon. Fazer o que né? Vou ler mesmo assim. Apesar do final, que deixa tudo meio vago, o livro é maravilhoso ❤

E minha análise:
Primeiramente, quero dizer que a história de A é muito louca! Já se imaginou acordar toda manhã num corpo diferente, ora menina ora menino? Aos 16 anos de idade? E se apaixonar por alguém “normal” e não ter a menor expectativa de um relacionamento duradouro? Pois é.
Amei esse enredo que David Levithan criou, pois é diferente de tudo que tenho lido ultimamente. Tem uma “vibe” meio fantasia, mas que ao mesmo tempo identifica alguns momentos em que você mesmo questiona se está no corpo certo. Tipo: o corpo quer uma coisa, mas a mente quer outra, sabe? Estou viajando também!rs
Os aspectos que A aprende sobre a pessoa em que habita por um dia são surpreendentes. A não só habita, ele tenta entender essa pessoa, às vezes até interfere de forma positiva na vida dela, mesmo sabendo e tendo como regra que não deveria fazer nada disso. Em alguns casos, A foi muito corajoso a ponto de salvar uma vida, ou deixar de colocar alguma em risco.
E foi assim que conheceu Rhiannon; fez do dia dela inesquecível mesmo estando no corpo do escroto do namorado dela. E consequentemente, pela beleza de Rhiannon como pessoa, o amor acontece, e isso é o ápice para A. E então começa a luta para ficarem juntos (que você lê no livro).
A só habita pessoas da sua idade, mas a maturidade (ou não) com que lida com as situações são espetaculares. As cenas em que Rhiannon tem que interagir com cada A diferente são hilárias, cheia de sentimentos, dúvidas e neuras. E por conta disso e muitas outras coisas, A tem uma atitude sensacional e indescritível, já no finzinho do livro, que te faz pensar: Porr*!!!


E aí, gostaram do tema desse livro? Já leram ou tem vontade de ler? Compartilhe conosco.

A próxima leitura foi sugestão da May, daqui do Coelho, e é ela quem vai postar suas impressões. Vamos ler juntos?


Título: Não fale com estranhos
Autor: Harlan Coben
Editora: Arqueiro
Ano: 2016
Edição: 1
Número de páginas: 304
Tema central: Mistério


0 comentários:

Deixe seu comentário