Resenha: Animate me - Amor Criativo

Título: Animate me - Amor criativo
Autora: Ruth Clampett
Sinopse:
Ela parecia totalmente fora de alcance...
Será que o amor poderia juntá-los?
Durante anos, Nathan, um tímido desenhista de histórias em quadrinhos, foi apaixonado pela charmosa e dinâmica Brooke, diretora do departamento de desenvolvimento do estúdio em que ambos trabalhavam. Essa paixão o leva a criar uma nova heroína, a Garota-B, totalmente inspirada nela. Quando um projeto em comum finalmente os aproxima, o apaixonado Nathan acredita que tem alguma chance, mas acaba descobrindo que o presidente da empresa, Arnauld, também está na briga pelo coração da garota.
Desta vez, entretanto, Nathan não quer desistir facilmente dos seus sonhos. Determinado, ele decide fazer de tudo para ganhar o coração de Brooke. Arnauld, pressionado pela persistência de Nathan, resolve jogar sujo e cria uma insurreição em todos os desenhistas frustados da empresa. Enquanto Nathan luta com todas as armas para ficar com a sua Garota-B, Brooke é forçada a tomar uma decisão. Será que ela vai optar pela carreira brilhante, que levou anos para construir, ou simplesmente vai seguir seu próprio coração?


Ai gente, que livro FO-FO!

Essa história quebra todo o paradigma do nerd moderno, do geek. Eles também amam!  Brincadeira, sem preconceito.

No grupo de viciadas em livro que participo no Facebook, pedi uma indicação de romance divertido, bem humorado e narrado do ponto de vista do cara. E totalmente superou minhas expectativas!

Conta a história de amor de Nathan (fofo) e Brooke (a super heroína do Nathan), que nasce como uma amizade. Porém, o Nathan já tinha sentimentos por ela mesmo antes de ela nota-lo. E quando isso acontece, eles viram BFF e depois a atração fala mais alto.

Que o Nathan sempre foi apaixonado pela Brooke, a gente já sabe. Mas o que “pega” é como a Brooke começa a se apaixonar por ele. E vou te contar, até eu fiquei apaixonada.

O Nathan é o cara mais fofo e atencioso que conheci. Ele trata a Brooke como sua musa mesmo, a idolatra, a valoriza, chega até ser meloso demais porque nos dias de hoje isso é muito difícil de encontrar (que não seja um perseguidor, pelo menos). Mas eles se entendem nesse sentido: ele precisa desesperadamente que a Brooke perceba que ele é bom o suficiente para ela, e ela precisa desesperadamente que alguém a ame como ela é, com seus defeitos, manias e gostos.

A narrativa é super leve, tem cenas hot hot, mas também leves e você se diverte muito vendo o ponto de vista de um cara socialmente debilitado, com fracassadas tentativas de relacionamento com o sexo oposto e tentando ser alguém “normal” num relacionamento.

Uma coisa que gostei muito nesse livro é que os capítulos se completam. Você começa o próximo capitulo exatamente onde o anterior acabou, dando início a mais uma cena da história. Isso é bem legal porque você não se perde. E se você lê muito rápido, como eu, isso impede que você fique voltando no capítulo anterior pra rever alguma coisa!

Realisticamente falando, o Nathan não existe! Chega a ser perfeito demais, mesmo ele amando assistir animação sempre, afogar as mágoas na bebida e não morar mais com os pais! Ele tem tanta devoção pela Brooke, que chega a ser surreal! Nunca aconteceu comigo, então não posso dizer que não existe mesmo...rs

O final...ah, o final! Não tem epílogo, o que me deixou muito muito muito triste, porque eu queria muito mais de Nathan e Brooke, mas no último capítulo eles imaginam como será o futuro deles juntos e você tem certeza que é exatamente isso que acontecerá.
Mas eu gostaria de ver Nathan e Brook...

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>> SPOILER>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

...como pais de duas crianças e um labrador!

Ai ai...

Nota:




O post original desta resenha foi feito em 29/07/2015 e você pode conferi-lo aqui.

0 comentários:

Deixe seu comentário