Resenha: Nossa música

Oi gente, tudo bem? Por aqui, tudo perfeito.
Como falamos no post de aniversário, a resenha de hoje é uma leitura conjunta do livro mais votado na enquete de aniversário. Aqui, vamos deixar nossas resenhas individuais, e gostaríamos de saber também a opinião de quem já leu.
Vamos lá?

Título: Nossa música
Autor: Dani Atkins
Sinopse:
Ally e Charlotte poderiam ter sido grandes amigas se David nunca tivesse entrado em suas vidas. Mas ele entrou e, depois de ser o primeiro grande amor (e também a primeira grande desilusão) de Ally, casou-se com Charlotte.
Oito anos depois do último encontro, o que Ally menos deseja é rever o ex e sua bela esposa. Porém, o destino tem planos diferentes e, ao longo de uma noite decisiva, as duas mulheres se reencontram na sala de espera de um hospital, temendo pela vida de seus maridos. Diante de incertezas que achavam ter vencido, elas precisarão repensar antigas decisões e superar o passado para salvar aqueles que amam.
Com a delicadeza tão presente em seus livros, Dani Atkins mais uma vez nos traz uma história de emoções à flor da pele, um drama familiar comovente que não deixará nenhum leitor indiferente.
Análise da Flá:
Quando esse livro foi lançado fiquei em dúvida se ia lê-lo ou não. E vou dizer por que. O primeiro livro de Dani Atkins, “A história de nós dois” me conquistou de tal maneira que não via a hora de ler o livro seguinte dela. E aí quando li “Uma curva no tempo” me decepcionei tanto que não queria ler mais nada dessa autora. Eu poderia ter passado sem ler Uma curva no tempo (por causa do final, que me deixou maluca).
E então, como desafio, colocamos na lista para votação de leitura de aniversário. E eis que, como o escolhido, venho falar dele.
Dani Atkins que surpreendeu novamente com esse livro! Me apaixonei ao ponto de não conseguir mais parar de ler, de querer ver um filme sobre ele, de querer saber mais sobre os personagens e suas vidas.
Tudo começa quando Ally e Charlotte se encontram depois de anos, em péssimas circunstâncias. Elas se encontram no hospital, com seus maridos correndo risco de morte. A narrativa é intercalada entre as duas, e vários capítulos são sobre os acontecimentos do passado, e é a forma que a história delas se entrelaçam.
No passado, era Ally e David, atual marido de Charlotte. Charlote não tinha ninguém, nem Joe, atual marido de Ally. Mas as coisas mudam de tal maneira e em tal velocidade, que agora são Ally e Joe e Charlotte e David. E tudo se encaixa.
Fiquei boa parte da leitura tentando entender como David se tornou o ex de Ally, e em que momento Charlotte aparece na história. E para falar a verdade, a surpresa nem é tão surpresa assim.
A surpresa, as surpresas na verdade, acontecem do meio para o fim do livro. E pelamor! Segura coração. É nessa parte que Joe se torna meu favorito do mundo, por todos os motivos.
Chega um momento, perto do final, que você não quer saber o que vai acontecer mais naquele hospital, quer guardar os personagens na memória da forma como eram ou viviam, porque nada te prepara para o fim.
Ao ler esse livro, eu ri, chorei, me apaixonei, sofri, mas leria tudo de novo. Porque a lição de amizade, família e responsabilidade é imensurável.

Análise da May:
Nunca havia lido nada desta autora e esperava um dramalhão cheio de ressentimentos e amargura quando iniciei a leitura. A história é bem escrita e envolvente, porém é muito previsível, você já imagina muito do que está por vir. Peguei uma birra imensa por alguns personagens e o final deixa a desejar para aqueles que tem a esperança de que o que é justo, correto e bom "vença" de certa forma. Em compensação, há personagens pelos quais a gente consegue torcer e que cativam, que convencem e nos deixam ansiando pelo final e quando ele chega, decepciona um pouco. Durante a leitura criei um pouco de esperança e esperando por um milagre que mudasse o rumo da história, mas a previsibilidade venceu. Tentar falar mais ou explicar melhor pode acarretar muitos spoilers e eu não quero fazer isso, rsrs.
Apesar disso, o livro consegue nos prender, nos encantar e até mesmo abalar... não é uma leitura perdida porque ela nos ensina muito sobre amizade e família e toda a lição é muito válida. 

Análise da Carla:
Ah, que história! Primeiro livro da autora que leio e já tô querendo muito conhecer os outros (ou talvez não.. talvez eu deva ficar com essas lembranças para não me arrepender, ainda preciso descobrir rs).
A maneira como a autora aborda questões sobre família/amizade é de te fazer transbordar, é impossível não se sentir pelo menos um pouquinho abalada.
Os capítulos intercalados permitem uma visão mais ampla de tudo, e conforme as histórias vão se interligando e o livro vai chegando ao fim, você vai ansiando pelo desfecho e ao mesmo tempo querendo evitá-lo.
Mas, bem, não tem como. E ainda não consegui decidir se gostei ou não desse final. Porém, me apaixonei pelo contexto, pelas personagens, pelas mensagens e tudo mais nesse livro.

E aí, gostaram? Dividam conosco suas impressões sobre Nossa Música.
E obrigada a todos que participaram! Em breve tem mais!

Beijos!
0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário