Resenha: Corte de Asas e Ruína

Título: Corte de asas e ruína
Autora: Sarah J. Maas
Sinopse:
O terceiro volume da série best-seller Corte de Espinhos e Rosas, da mesma autora da saga Trono de Vidro em “Corte de Asas e Ruína" a guerra se aproxima, um conflito que promete devastar Prythian. Em meio à Corte Primaveril, num perigoso jogo de intrigas e mentiras, a Grã-Senhora da Corte Noturna esconde seu laço de parceria e sua verdadeira lealdade. Tamlin está fazendo acordos com o invasor, Jurian recuperou suas forças e as rainhas humanas prometem se alinhar aos desejos de Hybern em troca de imortalidade. Enquanto isso Feyre e seus amigos precisam aprender em quais Grãos-Senhores confiar, e procurar aliados nos mais improváveis lugares. Porém, a Quebradora da Maldição ainda tem uma ou duas cartas na manga antes que sua ilha queime.
"Em meio à guerra, é seu coração que enfrentará a mais árdua das batalhas..."



Olá pessoal, tudo bem com vocês?

Sabem aquela história, né? Quem é vivo sempre aparece! rsrs. 
Depois de muitos altos e baixos na minha vida profissional, parece que finalmente vou conseguir colocá-la nos eixos e voltar a me dedicar a esse grande pedaço de amor da minha vida. 
Estava me sentindo um pouco mal por não ter deixado o blog tão ativo quanto gostaria durante esse ano, mas 2018 será promissor e certamente começarei os projetos que engavetei este ano. E, em geral, 2017 foi um ano complicado para a maioria das pessoas. 

Mas, vamos à grande razão do post... a maravilha em forma de letras com que Sarah J. Maas nos presenteou desta vez. 
A série Corte de Espinhos e Rosas me conquistou de tal forma que eu passo quase todo o pouco tempo que tenho disponível tentando convencer as pessoas a conhecerem essa história arrebatadora.

Certamente não fiz diferente com a Carla aqui do blog, hehehe, e - com isso e por isso - ela se apaixonou por essa obra... Partilhamos lamúrias e lágrimas e spoilers (essa parte é mais culpa minha, rs) e teorias e alegrias. Sendo assim, nada mais justo do que esse momento também ser nosso e partilharmos esse espaço para fazer um ataque combo x2 postar a resenha com a visão das duas, não é mesmo? :)  

As resenhas dos livros anteriores você pode conferir aqui:

NÃO RECOMENDAMOS PROSSEGUIR A LEITURA DESTE POST CASO NÃO TENHA LIDO OS LIVROS ANTERIORES!

Confiram nossas resenhas de Corte de Asas e Ruína:

May:

Eu ansiei tanto por essa continuação que no dia em que ele foi lançado nos EUA eu o comprei em e-book e li em inglês mesmo. Eu estava desesperada por tê-lo e senti-lo, e não me arrependi dessa escolha em momento nenhum, nem quando fiquei enchendo a Carla de desespero e spoilers, hahaha.

Parece que não há formas de expressar bem o que é este livro. Repleto de ação e reviravoltas do começo ao fim, ele começa pegando fogo quase literalmente. 
O enredo da verdadeira batalha se mostra mais político e conceitual que o que possui de prática, e eu esperava mais do desenrolar prático da batalha, visto que a última 500 anos atrás foi épica. O que a torna envolvente é a preparação de Feyre e seus amigos que tentavam salvar a todas as raças, pois eles precisam primeiro convencer os demais de sua honestidade - graças às eras de mentiras e maldades que Rhys foi obrigado a fazer - antes de formar as novas e perigosas alianças.
Feyre também se vê ameaçada pelos demais Grão-Senhores que acreditam que ela tenha roubando-lhes os poderes, sem entender que na verdade eles os concederam. Sem contar que eles são testados o tempo todo, tendo que provar até onde estão dispostos a sacrificar em prol das alianças que necessitam. Feyre tem seu papel mais fundamental na trama neste quesito, por não concordar que todo o fardo deveria ser unicamente de seu parceiro.

O desenrolar da trama te prende, te fascina, te desespera e te consome ao mesmo tempo em que te diverte.
Você se pega odiando e desejando a morte de uma grande gama de personagens, a maioria membros do império de Hybern, porém nem todos. Ao mesmo tempo em que você se pega desacreditada(o) consigo mesma(o) por se compadecer de gente que até então merecia seu ódio com todas as forças... a palavra certa talvez seja "pena". - Me peguei diversas vezes pensando "por que diabos eu estou com dó dessa criatura?!" hehe.
Em contraparte, quando falamos do círculo íntimo da Corte Noturna, Elain iniciou me decepcionando, mas era compreensível já que o Caldeirão tirou toda sua vitalidade em troca da imortalidade, seu envolvimento com Azriel (que até agora eu não entendi por que não é o seu parceiro) foi crucial para que ela pudesse se recuperar. Nesta me incomoda muito com seu jeito de ser, descontando seus problemas nas pessoas erradas, principalmente em Cassian - que ao meu ver é o melhor personagem depois de Rhysand -. Ainda assim o entrosamento entre os dois é gostoso e engraçado de acompanhar e o relacionamento que eles constroem mesmo sem deixar claro se são parceiros ou não, está a altura do "poder" de ambos. Mor surpreende do início ao fim com seus segredos e não posso dizer que adoro Amren, mas seu papel é muito bem demarcado e desenvolvido, além de seu papel fundamental em todo o processo da trama. 

Já Rhys e Feyre, nossos narradores e protagonistas, não vão muito além do que já sabíamos sobre eles, o destaque que eles recebem está no papel central de desenvolvedores do contra-ataque à Hybern e em tudo que sacrificam por seu círculo e por seu povo. E é justamente aí que a autora vem e dilacera seu coração... chorei que nem uma criancinha agarrada ao travesseiro. É surreal! rsrs. 

Sarah criou um universo fantástico e envolvente que tem muito mais a ser explorado. Enquanto o seu segundo volume trata de superação e amor, este trata mais de política e ação, acima de tudo de poder e alianças, sobre confiar mesmo sem motivos para isso em busca do bem maior. E o melhor, sem perder o romance da coisa. 
Espero que a sequência que ligará os pontos até a continuação da série, possa explorar mais do universo e que traga as consequências e os resultados da guerra como ponto chave.

Os únicos pontos negativos com relação à versão nacional do livro é que eu não gostei tanto da capa - assim como mais da metade dos leitores, e que a tradução me pareceu um tanto diferente da dos livros anteriores.

Carla:

Difícil expressar por meio de palavras tudo o que esse livro me fez sentir. Todas as lágrimas que eu derramei, o tanto que eu amaldiçoei nossa autora querida (perdão!), ou o quanto eu amei mais ainda cada personagem. Mas não podia esperar nada menos da Sarah, não é mesmo? rs.
E, juntamente com esse enredo maravilhoso, vem aquela "ressaca literária" maravilhosa... onde parece que nada que se ler a seguir irá te saciar. 

Bom, apesar da minha decepção com determinados personagens (principalmente por eu esperar uma participação mais direta na batalha final), outros me surpreenderam e subiram alguns pontinhos no meu conceito. - MENOS AQUELE QUE RESOLVEU QUASE NOS MATAR DO CORAÇÃO!
Detalhando: Sim, Feyre me desapontou. Ao meu ver, ela ficou muito à margem da grande guerra; Apesar dela ter tido um papel importantíssimo para que eles tenham chegado onde chegaram, ela poderia ter feito mais, talvez usado mais do seu treinamento.
Porém, o modo sábio como ela usou o título de Grã-Senhora e toda a inteligência para resolver os empecilhos que surgiram no caminho, me deixaram bastante orgulhosa. 

Agora, personagens que me impressionaram foram os outras irmãs Archeron. Mesmo não simpatizando muito com Nesta, os discursos "empoderados" dela foram de abalar. A troca de farpas entre ela e Cassian deixou tudo muito irreverente, e fiquei ansiosa por um livro com o desenrolar da história deles. Elain, com todos os seus medos e traumas mostrou que é possível, sim, se superar. 

Se ficar aqui escrevendo sobre cada ponto que se destacou, se tornará impossível terminar. O que posso dizer é: Senhor, que livro!
O que o segundo tinha de romance, esse teve de ação. Com momentos de fazer prender o fôlego e nos amarrar à história de modo que é uma tortura largar a leitura antes do fim.

Esse é um daqueles livros que te deixa com aquele desejo imenso de poder fazer parte desse mundo, de poder aproveitar cada personagem, cada lugar da história.
Com todas as suas lições sobre amizade, amor, sacrifícios... é de arrepiar até mesmo muito tempo depois de sua leitura.
E aí, o que vocês acharam? Não deixem de comentar conosco a sua opinião sobre esse universo da Sarah! E, de verdade, se ainda não pegou essa história para ler, parem de perder tempo! rs.

Boa leitura!
Beijos.
0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário