Resenha: O garoto que eu abandonei

Título: O garoto que eu abandonei
Autora: Raiza Varella
Sinopse:
O que você perdoaria por amor?
Em O Garoto que eu Abandonei vamos conhecer a história do último encantado dos irmãos Bittencourt. Gustavo mantinha uma namorada secreta a meses com medo da reação de sua família e principalmente de Bárbara, sua irmã caçula, afinal ele sabia que ela não aceitaria facilmente esse relacionamento por ter um passado com a mulher que ele acredita amar. Quando o segredo vem à tona ele decide se casar com a moça doa a que doer, lançando ao vento um desafio tentador a Bárbara: Afundar o casamento a qualquer custo, mesmo para que para isso ela precisasse colocar o seu felizes para sempre com um certo garoto dos olhos azuis em risco! A solução? Recorrer a uma misteriosa mulher do passado do irmão. Ela não sabe nada sobre a moça misteriosa, a não ser que ela partiu o coração de Gustavo em um milhão de pedacinhos depois o abandonou. Se ele a amou ao ponto de escondê-la de todos será que ficaria balançado se a visse novamente? Bárbara acredita que vale a pena tentar, afinal a ruiva com os olhos cinzentos e infelizes parece ser sua última e única opção. O que ela não imaginava é que a história dos dois é mais profunda do que se deixa transparecer.
Marcela é morta por dentro. Uma detetive particular de humor ácido que não tem papas na língua, pesa mais do que gostaria, e guarda dentro do peito uma dor feroz e uma saudade absurda após perder toda a família em um acidente de carro, também é a Branca de Neve de um certo príncipe encantado. Será que ela será a arma certa para impedir o noivo de chegar ao altar?
Em meio a encontros e desencontros, um passado secreto, muitas mentiras e uma maça envenenada poderá existir um final feliz?
Olá pessoal, tudo bem com vocês?

Hoje estou trazendo a última resenha da trilogia Encantados, do livro O garoto que eu abandonei. E, depois de O garoto de olhos azuis, este é o livro da trilogia que eu mais gostei.
Não que eu não tenha gostado de O garoto que tinha asas, mas esta história se superou e me tirou o fôlego por tantas vezes, que tudo que eu sentia necessidade de fazer era engoli-lo.


E eu recomendo fortemente que você não prossiga com a leitura desta resenha caso não tenha lido O garoto dos olhos azuis. Não que eu vá lotar aqui de spoilers, mas é que as histórias são sequenciais e diretamente ligadas.

Eu avisei hein, a leitura é por sua conta e risco, vamos lá!

Mesmo com os erros consideráveis de digitação, a história tem tamanha profundidade que em momento nenhum é afetada pelas falhas.

Quantos limites somos capazes de cruzar para chegar ao "felizes para sempre"? Todos sabem que eu adoro histórias felizes e é assim que eu sinto inveja de todos eles por viverem seus amores fantásticos dentro da trilogia. Mas, o amor deste livro - em especial - foi o mais real e profundo, o mais tocante. Mostrando como a vida e o destino realmente parecem fazer uma escola de samba desfilar usando salto 15 na face da gente.
- O quanto as perdas, assim como as conquistas, nos transformam.

E esse livro é isso, vemos pessoas transformadas por suas dores, murchando por seus segredos e medos, desejando não viver mais um dia daquele sofrimento todo e... e se redescobrindo através de carinho, de amizade e principalmente de amor.

Gustavo escolheu abandonar a família para se casar claramente com a pessoa errada e conhecendo a família como conhecemos, já podíamos esperar que eles moveriam céus e terras para impedir este casamento de acontecer. O que eles não podiam imaginar é quanta dor um passado poderia trazer ao presente quando optaram - mais a Bárbara que qualquer um dos outros, obviamente - por trazer Marcela, uma amiga e antiga paixão de Gustavo, de volta.

O reencontro de Gustavo e Marcela, após anos, vem para colocar os pingos nos i's todinhos de uma amizade abandonada por segredos e mentiras, para salvar uma Bárbara desesperada com a possibilidade de seu querido irmão se casar com uma pessoa que não merece nem um bom dia e também para completar antigos "enigmas" lançados anteriormente.

Consigo sentir, até agora, a dor da Marcela... e essa é uma das vantagens mais incríveis dos livros narrados em primeira pessoa: permitir que o leitor absorva melhor o sentimento das personagens.

Dor e superação caminham lado a lado numa linha tênue nesta história e basta saber como o coração consegue aguentar tudo isso e continuar batendo.
Será que o preço cobrado de todos nesta trama vai valer a pena para que tudo se encaixe?

A importância da família e dos amigos neste livro é igualmente levantada e bem trabalhada.
Quando dizem que "tudo acontece por um motivo", eu nunca imaginaria que seria tão ao pé da letra assim. Só fiquei, ao fim, indignada porque a Camila não teve um destino de puro sofrimento, definitivamente ela merecia. Mas, a história é maravilhosa e nem isso tira seus méritos.

Nota:



Ah, complementando com uma novidade não tão nova assim... a editora Pandorga lançou um livro chamado Amor de todas as formas, para comemorar o dia dos namorados ano passado com pequenos contos de algumas autoras. Nele, Raiza Varella nos traz um pequeno vislumbre de como está a vida de nossos queridos da trilogia após os acontecimentos deste último livro, através da perspectiva de Vivian e Bernardo... além de trazer a própria história do casal.

Maravilhoso a Raiza ter nos presenteado com este conto, a Malibu merecia que conhecêssemos sua história também e ela é capaz de nos arrancar algumas lágrimas.
Eu já li o conto, ele é curtinho mas também vale uma resenha, então logo trarei aqui para vocês também! :)

Boa leitura, beijos!
Até a próxima!
0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário