Resenha: Essa noite é nossa

Oi gente, tudo bem? Tudo bem também.
Hoje vou falar de um livro que escolhi TOTALMENTE pela capa. Preciso explicar?rs


Título: Essa noite é nossa
Autora: Corinne Michaels
Sinopse:
Da autora best-seller do New York Times, Corinne Michaels surge um novo romance repleto de sensualidade.
"Não sou mulher de uma noite só. E, principalmente, não sou como aquelas mulheres que tomam uns drinks em um show e acabam na cama com o meu celebrity crush de infância, Eli Walsh.
No entanto, é exatamente nela em que me encontro.
O que uma garota deve fazer depois de cometer um erro por conta da bebida? Correr. Eu pego as minhas roupas e fujo do superstar poderoso e irresistível, melhor sexo da minha vida, o mais rápido que consigo. Seus lindos olhos verdes, seu corpo duro como rocha e seu sorriso metido não têm espaço no meu mundo. A minha vida já é complicada o suficiente.
Alguém se esqueceu de dizer isso a ele.
Eli é persistente. Abrindo caminho até o meu coração, me ganhando pelo cansaço, provando ser diferente daquilo que eu tinha imaginado e tudo que preciso. Mas quando o meu mundo é estraçalhado, ele mantém juntos os pedaços. Relutante, eu me apaixono desesperadamente por ele.
Ele me fez pensar que teríamos a eternidade . . . Eu deveria ter dado ouvidos a ele quando me disse que poderíamos ter apenas aquela noite."


Mais uma vez, essa sinopse não dá nem um cisco do que realmente é. Você imagina que é só um romance, mas não é não.
Quando Heather, a mocinha, diz que sua vida é complicada o suficiente, ela não está brincando. Ela é cheia de problemas familiares, de relacionamentos e de auto-estima. Dizer que se envolver com um famoso é loucura, é um eufemismo.
Mas mesmo assim as coisas acontecem e você conhece tanto os problemas de Heather como o peso que Eli tem que carregar (que só é revelado lá no final).
Pense num livro chato. É esse. Heather e Eli estão na faixa dos 35-45 anos, mas seus pensamentos são tão adolescentes que cansam. O complexo com algumas coisas e medos futuros são tão juvenis quanto poderia ser num young adult.
Tirando isso, o drama que envolve o livro, ou melhor, os dramas, são reais e bem fod*. E mais uma vez, a forma como ambos lidam com eles é bem meia boca.
Eu gostaria de ter visto mais atitude, mais maturidade e menos mimimi, entende? Se não, vai entender quando ler. Será que teremos a mesma opinião?
A parte que realmente me agradou estava no final do livro, quando um grande segredo é revelado e Heather tem a melhor atitude de mulher que poderia ter. Já Eli, correu como um filhotinho. É compreensível? Sim, é. Mas não foi o que eu gostaria de ler lido.
Em resumo, é um casal adulto, beirando ou passando dos 40 anos, com dramas reais e bem pesados, mas com um jeito meio estranho de lidar com as coisas.
Se indico? Não sei ainda, mas só de ver essa capa e saber que o personagem é exatamente assim, já vale a leitura. E sabe aquela sensação de nostalgia quando você lembra da sua boyband favorita na adolescência? Tem isso também.

Beijo
Boa leitura

Nota:




0 comentários:

Deixe seu comentário