Como planejar um intercâmbio

Oi pessoal, tudo bem com vocês?
Passei o último mês sumida porque estava viajando, estava fazendo um intercâmbio maravilhoso em Toronto - no Canadá. Fico até surpresa por nenhuma das meninas terem feito aquela piadinha antiga: "Menos a May, que está no Canadá", hahaha. (Deve ser porque só eu ainda uso piada antiga).

Certamente vou trazer para vocês mais detalhes sobre Toronto. Sobre o que eu vi, onde fui, o que vale a pena e etc. Mas antes disso, gostaria que vocês pensassem a respeito do "Por que fazer um intercâmbio?".


Fazer um intercâmbio é mais do que tirar férias em outro país. Na verdade, é estar disposto a gastar suas férias com tudo menos descansar. É estar disposto a ir aprender algo: Um idioma, uma cultura, alguma especialização profissional ou o que for... O intuito é ir aprender estando imerso (vivendo) no/o seu objetivo de estudo. 
Então, se você está interessado em ir aprender algo de forma imersiva, um intercâmbio se torna o caminho certo. Se você quer apenas descansar e se desligar, talvez só uma viagem comum para curtir as férias te bastem.

No meu caso: Precisava aperfeiçoar meu conhecimento na língua inglesa e tenho interesses profissionais no Canadá. O resultado disso foi a escolha em ir fazer um curso de inglês via intercâmbio em Toronto, para quem sabe um dia poder voltar e tentar algo diferente lá. 

Tendo decidido que o intercâmbio é o caminho ideal para você, o que você precisa para conseguir chegar lá? 
A seguir, acompanhe as dicas que são fundamentais para transformar este sonho em um projeto:

  • O primeiro passo é pensar no curso que você gostaria de aprender (um idioma, uma especialização no seu campo profissional, etc). 
  • O segundo passo é procurar locais que tenham este curso e isso pode ser consultado por conta própria ou com o auxílio de uma Agência de Intercâmbio. É importante pesquisar muito sobre o destino, para não se frustrar ou acabar prejudicando a viagem como um todo.
  • O terceiro passo é escolher o melhor momento para ir. Levando em conta a estação do ano que mais vai te agradar, o quanto está disposto a gastar (porque alta-temporada tem seu custo muitas vezes elevado), o que estará acontecendo no local durante o período, etc.
  • O quarto  passo é estimar o valor que será gasto com o curso escolhido, hospedagem e passagem para o país de destino no período desejado, sempre cotando em diferentes lugares para encontrar a melhor oferta. Assim você poderá se planejar melhor.
  • O quinto passo é precisar quanto tempo será necessário para concluir seu curso. Caso você trabalhe e não possa se dar ao luxo de pedir demissão, pode tentar um acordo com a empresa e negociar o prazo em que estará fora. O mais usual para quem trabalha é usar o período de férias para fazer um intercâmbio de curta duração (28 dias).
  • O sexto passo é correr atrás do visto (permissão de entrada) no país escolhido junto ao Consulado do mesmo - com permissão de estudo e/ou trabalho (se necessário). É importante verificar também, caso seu voo tenha conexão, se o país da conexão também requer um visto de entrada. O processo do visto geralmente é feito com um despachante, mas também pode ser feito por conta. 
  • O sétimo passo é, caso você decida fazer tudo por conta  própria, contratar um seguro viagem com assistência médica. Agências já tem seguro viagem incluso nos pacotes ofertados.  
  • O oitavo passo é, após ter decidido tudo, começar a acompanhar da moeda do país. É importante acompanhar a cotação diária da moeda para entender sinais de oscilação e o melhor momento para comprá-la, existem aplicativos que podem te auxiliar com isso, recomendo o MelhorCâmbio.com,  que mostra o valor em diversas Casas de Câmbio e te permite ofertar negociações com as Casas. É recomendado levar uma boa quantia para não passar dificuldades no lugar, além de poder se permitir conhecer diversos pontos turísticos e aproveitar compras - sem precisar sofrer com as milhões de taxas cobradas pelos cartões de crédito do Brasil. Leve cartões apenas para uso em emergências, sério. 
  • O nono passo é começar a acompanhar o preço das passagens aéreas. Se você estiver planejando tudo com uma boa antecedência, terá mais tempo para pesquisar valores, aplicativos como o SkyScanner podem emitir alertas de acordo com as suas preferências e assim você consegue aproveitar o melhor preço. Em geral, os melhores preços são encontrados se você comprar de 2 a 5 meses de antecedência. Porém, é importante comprar a passagem somente depois de obter a aprovação no visto caso ele seja necessário, já que sem ele você não conseguirá entrar no país e estará jogando dinheiro fora (as empresas de aviação cobram taxas de cancelamento que podem ser bem altas). 

Obs: Em momento nenhum você é obrigado(a) a fechar com agências, mas ao optar por fazer tudo sozinho(a), você se torna responsável por todo o contato com a escola, com a rede de hospedagem, seguro viagem e todo o resto, o que requer um bom nível de comunicação no idioma deles (ou em inglês) para contratar tudo corretamente como desejado. Mas, eu recomendo a contratação via agência pela facilidade que você terá em todo esse processo organizacional, eles são responsáveis por ir atrás de tudo que citei acima, além do apoio constante, e o valor cobrado não é tão mais alto a ponto de ser inviável. Você também pode encontrar em uma agência formas diferenciadas e facilitadas de pagamento para te auxiliar, fazendo por conta essa facilitação é quase inexistente. 

Eu, por exemplo, fechei com a Agência Mundi e eles me entregaram tudo em mãos e eu só tive o trabalho de preencher fichas e aparecer para o embarque rsrs. Apenas precisei preencher fichas com as minhas preferências e o resto aconteceu sem que eu precisasse ir atrás. Eles também forneceram assessoria para comprar a passagem e o contato com o despachante. E o mais importante, toda essa organização facilita a liberação do visto pelo Consulado. 
Além disso, eles te dão todo o apoio em tudo que você precisar desde o pré-venda (te ajudando a escolher o melhor lugar, o melhor momento, etc) até o seu retorno ao fim da viagem. Tive especialistas me acompanhando o tempo todo durante minha estadia, sempre preocupados se tudo estava certo, o que eu estava achando e se precisava de algo. 
Foi uma experiência completa e agradável e, me conhecendo, sei que não iria atrás de tudo com a mesma impecabilidade que eles foram. Fora que, ter alguém aqui no Brasil me auxiliando com tudo, passou a sensação de que eu não estava sozinha e jogada em um país desconhecido e passível de problemas. 


E é isso pessoal, espero que tenham curtido as dicas e caso tenham alguma dúvida ou algo a complementar, fiquem à vontade! :)
Como vocês bem sabem, fazer esse intercâmbio estava nas minhas metas para o ano e fico imensamente feliz por  tê-la concluído. Espero que todos sempre consigam realizar seus sonhos também! 

Agradeço também a Natalia Nunes - a Naty -, que foi fundamental em todo o meu processo de intercâmbio e se tornou uma amiga querida, por complementar as dicas que passei para vocês.

Beijos, até a próxima!

1 comentários:

  1. Adorei suas dicas e estou pensando em fazer o mesmo. Além da Agência Mundi você pesquisou outras ?

    ResponderExcluir