Resenha: Test drive

Oi gente, tudo bem? Tudo bem também!
Mais um nacional que caiu no meu gosto totalmente! Esse mocinho, Stephen, é um fofo!
Quer conhecê-lo também?

Título: Test drive
Autora: Carlie Ferrer
Sinopse:
Stephen Ryan pode ser considerado um homem fora do comum. Apesar de seu hobby favorito (luta livre em um clube clandestino), das tatuagens e da cara de mau, é na verdade romântico ao extremo, doce, atencioso e virgem! Ele apenas espera aquela garota que o fará apaixonar-se perdidamente para pertencer a ela. Após perder sua primeira paixão, não está em busca de aventurar-se nos caminhos do coração tão cedo.
O que ele não contava era que seu pai, desconfiado de sua masculinidade, imporia à sua vida a espevitada Sabrine Vega. Uma conhecida garota de programa que tem mais mistérios em seu passado do que é possível contar.
Sabrine tem uma missão muito fácil: seduzir Stephen e fazer o test drive. Depois, contar ao pai dele o resultado. Seria fácil se ela não fosse a única garota de programa do mundo que é ruim de cama. Ela não esperava que seu futuro cliente fosse tão bonito. Mas é ao conhecê-lo melhor que o trabalho de Brin é posto à prova, pois, além de ser o homem mais bonito que já conheceu, Stephen é doce, atencioso e a respeita como ninguém jamais respeitou. Para ela, acostumada ao desprezo e homens sempre iguais, o diferente Stephen pode se tornar a melhor experiência de sua vida!
Agora, ela quer seduzi-lo apenas para ser dele, e mal se lembra do trabalho que lhe foi solicitado. Mas como impedir seu coração de se apaixonar perdidamente por ele?


Peguei esse livro numa recomendação no FB sem pretensão nenhuma, e caramba! Que surpresa maravilhosa!
Stephen é tão FOFO que você nunca imaginaria possível depois de vê-lo numa de suas lutas. Ele é romântico, do tipo das antigas, é lindo, fortão, rico, inteligente e ainda por cima, bom moço. Apesar de seu porte (grande) e suas tatuagens, dando aquele ar de bad boy, Stephen é para casar.
Já Sabrine, ou Brin, é mistério até o último fio de cabelo. Ela luta para manter seus segredos bem guardados e quando confrontada, usa de suas mentiras e bom humor para escapar dos questionamentos. É difícil de entender como uma garota de programa pode ser ruim de cama, mas Sabrine tem suas justificativas. Ela é intensa, espontânea, divertida e apesar do peso que carrega nas costas, leva a vida com leveza. Mora com seu amigo Tyler, que além de divertido, é essencial na vida de Brin, mesmo que são saiba seus segredos.
Até ser contratada pelo pai de Stephen e o conhecer. O que era para ser um trabalho, se transforma em amizade e em faíscas constantes. Sabrine provoca Stephen o tempo todo, e fica alucinada quando ele corresponde ao desejo. Mas Stephen tem seus princípios a manter, deixando Brin louca. É fácil de entender o que deixa Stephen tão fascinado em Brin.
A história de Brin se revela aos poucos, e você vai percebendo que é tenso mesmo. Não teria imaginado uma trama assim, e a autora a desenrolou perfeitamente. Achei um pouco confuso no começo, pois apareceram muitos personagens, mas quando tudo foi esclarecido, não ficou nenhuma ponta solta. E apesar de ser uma ficção, é um assunto muito comum na vida real. Infelizmente.
Sobre as lutas... você poderia imaginar um estudante de direito, fofo, romântico e lindo sendo uma besta no ringue, enchendo caras grandões de porrada? Pois é, eu não também não imaginava. E não é que Stephen fica mais quente por isso? Hehehehehehe. E conhecemos ainda mais esse fofo, como a mulher que partiu seu coração e como lidou com seus problemas com o pai e seu maior inimigo.
Em dado momento, as coisas ficam perigosas (do tipo risco de morte) e a trama toma outro caminho. E é um deleite.
Em alguns momentos, você sente uma vontade absurda de dar um sacode em cada um, seja pela impertinência ou pela falta de comunicação, mas o casal é apaixonante.
Alguns errinhos de digitação aqui e ali, nada que interfira na leitura, são encontrados, mas a escrita é fluida, sem enrolação ou falta de fechamentos. É o tipo de escrita que você quer conhecer todas as outras obras da autora. Além de que a narrativa é intercalada entre Brin e Stephen, que deixa tudo mais pessoal e interessante.
O resto você tem que ler. E o epílogo é um caso à parte!

Beijo

Boa leitura!


Nota:










0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário