Resenha: Visões Noturnas

Boa noite galera, como estão? Por aqui tudo certo.
Como foi o mês de agosto? Muitas leituras? Espero que sim. E aproveito para lembrar que podem compartilhar suas experiências de leituras com a gente através do Blog ou do nosso Instagram.

Pois então, estou enrolando um pouco pra começar a falar da resenha de hoje, não é mesmo? O motivo é simples: Estou aterrorizada de medo.
Hoje trago para vocês o conto Visões Noturnas, da nossa parceira Day Fernandes, e como é minha primeira experiência com o terror literário, permaneço sem coragem de apagar as luzes e dormir sem antes compartilhar essa resenha com vocês. E na verdade, não sei se serei capaz de apagar por algumas semanas.

Bora comigo?


Título: Visões Noturnas
Autora: Day Fernandes
Sinopse:
"Quando se é marcado pelo Mal, você deixa de temer a morte. Estar vivo é mais aterrorizante."
Basta que o sol se ponha para que Melissa Garcia sinta seus ossos tremerem.
A garota de apenas dezenove anos acabou de enterrar os pais e sair de uma temporada em um hospital psiquiátrico, mas não importa onde ela vá, Ele sempre a encontra. Noite após noite.
Contudo, após Melissa encontrar a carta de um desconhecido e descobrir uma forma de enfrentar o demônio que a persegue desde a infância, dá-se início a um jogo perigoso. As apostas são altas, as chances são poucas. O Pesadelo não desistirá de possuir sua alma.
Mais feroz. Mais perigoso. Mais demoníaco.
Não há como escapar.
Ele virá.


A sinopse já é o suficiente para querer fazer você adquirir agora mesmo esse conto e saber um pouco mais sobre o que tanto aterroriza Melissa, estou certa?


Melissa é uma jovem que desde os quatro anos de idade é aterrorizada por Ele, pelo Pesadelo. Um ser obscuro que atormenta suas noites, e a impede de ter uma noite de sono tranquila. Mesmo com tentativas de se proteger, tudo parece ser em vão. Seus pais tentam ajudá-la durante a infância, mas não há resultados eficazes. Ninguém a entende. Ninguém pode ajudá-la.
Aos dezenove anos Melissa enfrenta a dor da morte de seus pais e precisará aprender a conviver com essa dor e com a cena assustadora da morte de seus pais. Ele havia os levado. O Pesadelo não há abandonava. Ele a queria.

Diante dessa dor imensurável ela decide que a melhor opção seria se internar em uma clínica psiquiatra, e buscar ajuda. A clínica não a ajudou, mas, a levou a alguém que poderia lhe ajudar. Melissa encontra uma carta no em seu leito da clínica, assinado por L. V., e essa pode ser a melhor maneira de enfrentá-lo, e vencê-lo. Melissa sabia que Ele viria, e ela estaria esperando.

"A diferença entre nós, eu e você, é que provavelmente seu cérebro apagará tudo da sua memória em pouco tempo. Você não pode vê-lo, nem sentir o cheiro pútrido que o acompanha. Eu sim. Eu lembro. Eu sinto. E jamais poderia esquecer."

O conto é muito rápido, narrado em primeira pessoa, e posso dizer que é o mais longe que cheguei de ler algo relacionado ao terror (definitivamente, eu sou do romance). A escrita da Day é algo que nos envolve, nos deixa atentos, ansiosos, e por essa razão li o conto em apenas algumas horas. O livro e a maneira que as cenas são descritas te fazem sentir medo, olhar ao redor, tentar fugir de tudo aquilo que está lendo e que você consegue materializar ao seu redor.

Mesmo com todo o envolvimento que o conto nos proporciona, a história apenas me amedrontou pela riqueza de detalhes, mas não foi capaz de satisfazer meu prazer literário, eu acreditava em um final diferente, e me senti um pouco decepcionada com o desfecho da história, que ao meu ver poderia ter sido mais elaborado e não ter deixado espaço para tantos questionamentos.

Se você é um amante de histórias de terror, embarque nessa aventura.

E aí, você será capaz de enfrentar o Mal junto com Melissa? Aguardo você para me contar o que achou.

Nota:





Boa Leitura!
Até a próxima.
2 comentários via Blogger
comentários via Facebook

2 comentários

  1. Esse conto foi um desafio e tanto pra mim tbm! Sou medrosa! Kkkkkkkkkkkkkk mas fico feliz demais q o conto tenha passado todas essas emoções!

    ResponderExcluir
  2. Então somos duas que enfrentamos o medo kkk
    Foi uma boa experiência. :)

    ResponderExcluir