Resenha: Marido de aluguel

Oi gente, tudo bem? Por aqui, tudo beleza.
Mais um livro fofinho, clichê e quente!

Título: Marido de aluguel
Autora: Anne Miller
Sinopse:

O plano era muito simples, tudo o que Gabriele Novais deveria fazer era se dedicar ao seu trabalho na Revista Global e nunca, em hipótese alguma, colocar um homem como a prioridade de sua vida — assim como a sua mãe cansou de fazer no passado. No entanto, esse seu plano caí por terra no momento em que o seu supervisor revela que a diretoria — leia-se o dono machista da revista — nunca daria a ela o cargo de “editora chefe”, a posição que Gabriele sempre almejou, simplesmente por ela ser uma mulher... Uma mulher solteira.Com a ajuda de seu melhor amigo gay — que sempre fingiu ser o namorado dela —, Gabriele decide contratar um acompanhante de luxo para fingir ser o seu noivo e, desta forma, provar a todos que ela é a mais capacitada para o cargo.
Em um jogo de prazer e sedução, ela se encontra completamente encantada por esse misterioso cafajeste.O homem perfeito tem um preço.Você está disposta a pagar por ele?


Assim como todos os outros livros sobre acompanhantes de luxo, o clichê está presente demais nesse livro. E isso não é ruim, pelo menos para mim.

Gabriele precisa de um noivo pois deseja um cargo de chefia na revista onde trabalha, e isso porque o dono da revista é um machista sem noção. Além da raiva por essa condição, Gabriele se vê numa enrascada, já que não pode contar com seu melhor amigo para isso.

E então surge a ideia de contratar um acompanhante. Tyler é lindo, inteligente, engraçado e carrega todo o mistério possível. Ele desperta o interesse de Gabriele, e vice-versa, mas o preconceito que Gabriele sente a impede de ver além.

Gabriele foge de relacionamentos, pois não tem bons exemplos de sua mãe biológica. E além disso, carrega uma culpa pela mãe que não a permite se relacionar com seus pais adotivos. Ao longo do livro, Gabriele vai revelando todas as suas frustrações e medos, e vamos entendendo o que se passa em sua cabeça.

Tyler também tem uma história, que interfere em suas escolhas. Mas quando conhece Gabriele, quer conhece-la de verdade, e não apenas superficialmente como seus serviços permitem. E como noivo de aluguel, cumpre seu papel com perfeição, deixando todos “apaixonados” pelo seu carisma, inteligência e cuidado com Gabriele, deixando até ela mesma surpresa com tamanha atuação.
— Mas e você, faz o que além de pegar no pé da minha noiva? — rebateu ele, arrancando uma risada do meu chefe.
— Eu pego no pé de outras pessoas, é claro! — respondeu Gaspar ainda rindo (...)
É uma romance muito clichê, como já havia dito. Porém, o que o torna interessante é o passado dos personagens e as pessoas em que se transformaram por conta dele. E o mais bacana é o que se tornam depois de se conhecerem.

O livro é narrado por Gabriele, em primeira pessoa e é muito bem escrito. Apesar dos muitos elementos da vida de Tyler e Gabriele, não tinha nenhuma ponta solta ou algo sem explicação. Os personagens são sarcásticos na medida e muito, muito românticos. Os diálogos são divertidos, dando um toque de humor ao romance.

É o tipo de romance clichê, lindo e fofo para ler quando se sentir de ressaca literária ou quando qure apenas suspirar.
— Você é sempre tão linda quando acorda ou isso foi algo exclusivo pra mim? — perguntou-me ele, arrancando-me o primeiro sorriso do dia.
— É tudo pra você — respondi ainda de maneira sonolenta. Após bocejar, eu completei: — E você, parece sempre um modelo de cuecas ou é só pra mim?
Após sorrir com a minha pergunta, ele se prontificou em respondê-la: — Não... Eu estou lindo sempre mesmo. 
Uma observação sobre a capa: achei sensual demais pelo teor do livro, que é mais comédia romântica do que totalmente sexy. O casal é lindo, tem química e pegada assim como Tyler e Gabriele, mas faltou um quê de humor para representar melhor nosso casal.

Nota:





Beijo

Boa leitura!
0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário