Resenha: O Vendedor de Sonhos - O Chamado

Oi gente! Como estão? Por aqui tudo certo.

Eu ainda não sei o que dizer sobre esse livro do Augusto Cury. Eu não tinha familiaridade com os livros desse autor e realmente não sabia o que esperar. Fiquei feliz, afinal, ele superou as expectativas.
O primeiro do livro da trilogia O Vendedor de Sonhos é simplesmente maravilhoso. E eu gostaria muito de compartilhar com vocês um pouco desse romance envolvente.

Título: O Vendedor de Sonhos - O Chamado.
Autor: Augusto Cury
Sinopse:
Um homem maltrapilho e desconhecido tenta impedir que um intelectual suicide. Um desafio que nem a polícia nem um famoso psiquiatra tinham sido capazes de resolver. Depois de abalá-lo e resgatá-lo, esse homem, de quem ninguém sabe a origem, o nome ou a história, sai proclamando aos quatro ventos que as sociedades modernas se converteram em um hospício global. Com uma eloquência cativante, começa a chamar seguidores para vender sonhos em uma sociedade que deixou de sonhar. Nada tão belo e tão estranho.


O que você faria se uma pessoa te convidasse a vender sonhos às pessoas que encontrasse? Sua reação seria positiva? Aceitaria o convite?

E se essa pessoa que te fizesse o convite fosse a responsável por impedir o seu suicídio? Perguntas difíceis, não é verdade? E, nosso personagem Júlio Cesar vivenciou essas e outras perguntas ao longo de seus dias, junto do Vendedor de Sonhos.



Júlio Cesar era um professor que apesar de obter excelência em sua área profissional, era frustrado em sua vida pessoal. E, devido as suas tristezas, em um infeliz momento de sua vida, a decisão que parecia  mais sábia para sua vida era interrompê-la através de um suicídio.
"O paradoxal é que todos os suicidas têm fome e sede de viver, mas não sabem; querem matar a dor, e não ceifar a existência"
Para concretizar seu objetivo ele se direcionou ao topo do Edifício San Pablo de onde pretendia pular e interromper seus sofrimentos... sua vida. E nada que policiais, psiquiatras ou bombeiros tentassem iriam o impedir. Ele estava decidido.

O que Júlio Cesar não esperava era que um homem maltrapilho sentasse ao seu lado, no alto do edifício e começasse a comer um sanduíche. Ele esperava ainda menos que esse homem o provocasse incentivando seu suicídio e posteriormente faria afirmações e indagações que lhe mostrariam que sempre podemos recomeçar.
"Cuidado! Pensar é perigoso, principalmente para quem quer morrer. Se quiser se matar, não pense."
Após conversar com o misterioso homem, que lembrava em suas falas o método socrático amparado em perguntas, Júlio percebeu que ceifar a vida não seria a solução, e a partir de então ele gostaria de conhecer um pouco mais do homem que o salvou e venderia sonhos ao seu lado. E é aqui que a verdadeira chuva de aprendizados começa...

Que livro maravilhoso leitores, que livro!!! Estamos diante de um livro narrado em primeira pessoa por um dos personagens, com uma linguagem um pouco complexa (Confesso que precisei usar o dicionário algumas vezes) mas que não impede o entendimentos dos fatos.

Ao ler esse livro você encontrará uma história desenvolvida em um grande centro urbano, movida pelo capitalismo e pela busca de felicidade amparada em recursos monetários, e aqui nos deparamos com a maior crítica promovida pelo livro. Com os personagens cativantes e um enredo bem construído, diversas vezes tomamos um "tapa na cara" ao nos deparar com situações e perguntas que nos fazem pensar e refletir sobre nossas atitudes.
"_Quando considero a brevidade da existência dentro do pequeno parêntese do tempo e reflito sobre tudo o que está além de mim e depois de mim, enxergo minha pequenez. Quando considero que um dia tombarei no silêncio de um túmulo, tragado pela vastidão da existência, compreendo minhas extensas limitações e, ao deparar com elas, deixo de ser deus e liberto-me para ser apenas um ser humano(...)"
Em alguns momentos da leitura, ou todos os momentos, almejei ser uma vendedora de sonhos e seguir a turma de "loucos" que andavam pelas ruas. E desejei mais ainda conhecer a história daquele homem que vendia sonhos... vendia recomeços. E digo mais, para mim ele é um sábio, e não um louco.

Esse foi um dos primeiros livros que adquiri, há alguns anos atrás, e meu arrependimento é ter demorado tanto para conhecer uma história que mudaria meu ponto de vista diante de diversas situações do cotidiano. Que mudaria minha mente... O livro é tão fascinante que me apaixonei por ele logo no prefácio.

Quem ainda não teve a oportunidade de ler, eu super indico a leitura. E para quem já leu, reler um com livro nunca é perda de tempo.

Nota:





Até a próxima,
Beijos.



0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário