Resenha: Caçadora de estrelas (2018)

Olá leitores! Tudo bem com vocês? 
Hoje eu trago uma releitura que não sei se pode realmente ser chamada dessa forma, já que a autora reescreveu mais de 50% do conteúdo do livro e criou uma nova história para o lançamento por uma casa editorial. Enfim, o importante é continuar sendo uma leitura apaixonante, não é mesmo?! 😊

No sábado passado (27/10/2018) aconteceu em São Paulo o evento de lançamento desta nova versão sob a mediação de Aione Simões, do canal Minha Vida Literária, e é claro que eu estive lá para prestigiar e dar um grande abraço na autora Raiza Varella destruidora de corações
Então, além da resenha desta nova versão, vou dar minha singela opinião sobre as principais diferenças entre as versões e o que eu prefiro em cada uma e também vou comentar um pouco sobre o que rolou no evento de lançamento.

Vamos lá?!

Título: Caçadora de estrelas
Autora: Raiza Varella
Sinopse:
Após flagrar o namorado com outro cara (não, você não leu errado) e constatar que o safado tem um gosto para homens melhor que o seu, Eva se arrepende de ter abandonado a família, o gato, o emprego, os amigos e até o país para seguir o imbecil e decide que é hora de voltar para casa, com um mau humor feroz e sem um tostão no bolso.
Embora a vida em casa esteja bem diferente do que ela se lembrava, Eva é obrigada a seguir em frente e lidar com a situação como uma mulher adulta. Mas o destino lhe prepara uma nova surpresa: um amor proibido. Será Eva corajosa o suficiente para lidar com mais um coração partido, mesmo que seja pela estrela mais brilhante do céu?

Caçadora de estrelas conta a história de Eva Marinho, uma romântica sonhadora que vive em função de uma promessa feita à sua mãe quando era criança: Encontrar a sua estrela. Ou seja, seu amor verdadeiro, alma gêmea, etc, como for que vocês desejam chamar.

Após abandonar o emprego, a família, o gato e os amigos, e decidir se mudar para Londres, Eva se frustra mais uma vez e precisa voltar com o rabinho entre as pernas para sua casa em Santos, no litoral paulista.
No avião, durante uma turbulência terrível ela paga aquele mico na presença de um desconhecido por achar que ia morrer e se arrepende de ter ido embora, mas quando ela chega em casa, além de uma péssima recepção, ela descobre que todos a haviam enganado durante o tempo em que esteve fora: Seu pai se casou, seu irmão destruiu seu carro e, o pior de tudo, seu melhor amigo está namorando uma de suas "novas irmãs" (Alice) e roubou seu gato.

Eva é arredia, mimada e egoísta. Além de ter um imã natural para problemas e caras errados. Ainda assim, ela é uma pessoal admirável por seguir tão fortemente seu ideal de cumprir sua promessa e realizar seus sonhos. E a parte em que eu mais me identifico com ela: Ela adora comer besteiras, haha. Durante a leitura é praticamente palpável sua imaturidade e é chocante em como uma pessoa de 30 anos pode ter "crescido" tão pouco.
O lance é que desde a perda de sua mãe, Eva foi posta em uma redoma de vidro e mimada por todos, e se tornou quem é. Não estou defendendo esta personalidade dela de jeito nenhum, só estou explicando as razões de ela ser assim. Apesar disso, ela é uma personagem bem engraçada e irônica também, o que conquista um pouco o leitor que sabe lidar com seus defeitos.

Todos estavam justificando os seus atos grotescos com a ida dela para o exterior. Ela apenas foi atrás do sonho dela e eles podem seguir as vidas deles também, claro, mas nada dá a eles o direito de destruir e roubar as coisas dela e muito menos o direito de menosprezar a presença dela. E, por mais que ela tenha ido embora, por mais que ela seja egoísta, ela não mentiu para ninguém. Então ponto negativo para eles nesse quesito.
Triste com todos os acontecimentos e sendo isolada pela própria família na comemoração de Ano-Novo na praia, Eva reencontra o desconhecido do avião e descobre que na verdade o conhece muito bem e que ele é Benjamin, um ex-namorado da adolescência... alguém que ela definitivamente não gostaria de reencontrar, só para ser a cerejinha do bolo de catástrofes recentes em sua vida.

Ninguém, absolutamente ninguém, sequer me olha quando a meia-noite é anunciada.
Estão todos muito ocupados assistindo à queima de fogos, rindo, bebendo e festejando sem me incluir.
— Eva

Gabriel e Eva são amigos desde que nasceram praticamente, então sempre estiveram presentes em todos os momentos na vida um do outro, desde os melhores até os piores. Porém, ele nutria um amor muito maior por ela, um amor além da amizade deles, ele a amava como mulher e ela era a única que não percebia isso. E ele estava se cansado de ser sempre o cara que fazia tudo por ela, o ombro amigo, que a remendava sempre que ela se destruía ou era destruída pelos outros, quando ele queria na verdade era ser notado de verdade por ela.
Então ele começou a namorar na tentativa de esquecê-la e superar esse amor distinto que só ele sentia. Pelo menos, foi o que ele planejou...

Minha garota está chorando. Fico tão espantado que não consigo sair do lugar. Eva não chora, nunca. Ela apenas se destrói, mas nunca, nunca, chora. (...) Eu me sinto culpado por cada maldita lágrima que ela limpa das bochechas rosadas, porque sei que poderia tê-las impedido de cair, como sempre fiz.
— Gabriel.

A narrativa vai alternando entre Eva e Gabriel mostrando o ponto de vista de cada um sobre os acontecimentos e a trama vai se desenvolvendo com a adaptação forçada de Eva em sua nova realidade enquanto Benjamin parece disposto a reconquistá-la, apesar dos avisos de Gabs para se manter longe.
Porém, com o que parece ser uma "pegadinha" do destino, novos sentimentos começam a nascer no coração de Eva e ela fica sem saber o que fazer ou como agir diante disso, ao mesmo tempo em que ela precisa lidar com uma notícia devastadora que promete ruir com todo o seu mundinho.

E é a partir daí que começam as mudanças significativas no desenrolar das versões da história...
Eva descobre muita coisa e precisa amadurecer tardiamente para aprender a lidar com a avalanche que se desenrola sobre a sua vida — e sobre a nossa.
Eu fui lendo já esperando pelo baque, pelo momento em que tudo ia dar muito ruim, ansiando e temendo e, no fim, me surpreendi.

Ao meu ver, essa nova versão é mais justa com os protagonistas, porque eles não mereciam de forma alguma o desfecho que tiveram anteriormente. Na minha resenha sobre a versão anterior, elogiei a construção e desenvolvimento dos personagens, a forma como eles foram muito bem trabalhados. Mas, nessa nova versão, ao mesmo tempo que me agradou a construção da família e da madrasta de Eva, me desagradou muito a construção da personalidade de alguns outros, como por exemplo a Alice, que deixou de ser uma vadia sem escrúpulos para se tornar uma personagem manipulada e sem sal. Além do próprio Ben que, apesar de ter se mantido bem construído, tinha conquistado um desfecho mais digno antes. Então, posso dizer que a autora "melhorou" a história em um lado ao custo de "piorá-la" em outros.

Em geral, a versão antiga tinha mais impacto, era mais pesada e nesta senti falta de um verdadeiro vilão, além da doença que os assola. E, às vezes, sinto como se tivesse ficado um vazio onde habitou a antiga trama que me levou às lágrimas por dias (não que eu não tenha chorado desta vez também, hehe). Acho que a Raiza poderia ter mantido alguns elementos a mais da trama anterior para que essa nova versão ficasse "completa".

Mas, eu definitivamente amei este novo final, essa nova história de Eva e Gabs, a luta pela vida de tirar o fôlego, o amadurecimento constantemente narrado, a superação e principalmente a moral da história: Aquela singela lição de que devemos viver nossos dias como se não houvesse amanhã, que devemos dar valor ao tempo, porque ele não volta.


A diagramação feita pela Editora Verus e essa capa MARAVILHOSA, torna o livro ainda mais especial e único. Não me recordo de erros de escrita que tenham atrapalhado a leitura e finalizo dizendo que vale muito a pena conhecer essa história, que é tão brilhante quanto as estrelas no céu. 😊

Nota:




Raiza mencionou também, durante o evento de lançamento, que mudou o livro por ela mesma, por não ser mais a mesma pessoa que havia escrito a versão anterior há 5 anos e ela passou a achar que os personagens não mereciam mais aquele fim, então ela foi fiel aos personagens e o mudou. E que se fosse pensando puramente em mercado e imprensa, ela não teria mudado nada.


Então, indico a quem tiver a oportunidade, conhecer as duas versões da trama, pois nunca é demais ler o "Precisa de mim aí?" tão especial e marcante. ♥

Boa leitura!
0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário