Resenha: Cinquenta Tons de Cinza

Oi gente, tudo bem? Hoje vamos de livro hot! hehe. 

Título: Cinquenta tons de cinza
Autora: E. L. James 
Sinopse:
Quando Anastasia Steele entrevista o jovem empresário Christian Grey, descobre nele um homem atraente, brilhante e profundamente dominador. Ingênua e inocente, Ana se surpreende ao perceber que, a despeito da enigmática reserva de Grey, está desesperadamente atraída por ele. Incapaz de resistir à beleza discreta, à timidez e ao espírito independente de Ana, Grey admite que também a deseja - mas em seus próprios termos. Chocada e ao mesmo tempo seduzida pelas estranhas preferências de Grey, Ana hesita. Por trás da fachada de sucesso - os negócios multinacionais, a vasta fortuna, a amada família -, Grey é um homem atormentado por demônios do passado e consumido pela necessidade de controle. Quando eles embarcam num apaixonado e sensual caso de amor, Ana não só descobre mais sobre seus próprios desejos, como também sobre os segredos obscuros que Grey tenta manter escondidos.

Esse foi um dos poucos livros que assisti primeiro ao filme... O que, bom, me levou a ler. 
Quando assisti, imaginei que teria muito mais detalhes por trás do que foi passado nas telonas. Estava querendo muito que aquela história tivesse continuação, porque eu amei, simplesmente.
Anastasia Steele está quase de formando na faculdade e divide o apartamento com sua melhor amiga, Katherine Kavanagh , que é a redatora do jornal e, de certa forma, quem apresenta Ana a Christian.
Ana é inocente, tem 21 anos e nunca namorou. Christian é extremamente bem sucedido, autoritário e lindo.

A maioria dos medos está somente na sua cabeça.

De forma "inesperada" os dois a acabam engatando um relacionamento. E a doce Ana adentra no mundo sombrio de Christian Grey; Conhecendo então o que vem a ser uma relação BDSM (sigla para Bondage, Disciplina e Sadomasoquismo ou Sadismo e Masoquismo).

A gente precisa aprender a caminhar, antes de correr.

Sempre prefiro livros em primeira pessoa, e a escrita da autora me surpreendeu bastante. Ela consegue transmitir os sentimentos dos personagens de forma clara, e as descrições cenas mais quentes até me intimidaram um pouquinho... haha.

O que me incomodou um pouco foi a dita "inocência" da Anastasia. Tudo bem haver uma certa disparidade com o Sr. Grey, (também precisei fazer umas pesquisas no Google) agora, ser totalmente alheia ao que ele sente, ficar sempre em dúvida quando as coisas estão bem claras... Isso me deixou um pouco frustrada. E em vários momentos torci para que sua "Deusa interior" assumisse o controle.
Ah, também achei a Kate um pouco boba e intrometida demais; aquela melhor amiga irritante.

Você disse que nunca iria me deixar, mas foi só as coisas ficarem difíceis para que fosse embora.

Um detalhe que devo ressaltar é que antes de ler 50 tons de cinza, li "Grey", a mesma história pelos olhos de Christian. E confesso que me emocionei mais. Pois ali é possível entender os problemas que o assombram e ver todo o seu empenho para se tornar uma pessoa melhor para conquistar a Ana. 
Entender a sua versão me fez admirá-lo ainda mais.

Será que ele é digno de mim? Esse é um conceito interessante. Eu sempre me perguntei se eu era digna dele.

De forma geral, se tornou um dos meus livros favoritos. O bom humor dos personagens é muito cativante. 

Nota:




Logo trarei a resenha da sequência, já estou super entretida com a leitura do segundo volume! Não esqueçam de comentar sobre o que acham dessa trama intensa (de muitas maneiras, haha). :)

Até a próxima, boa leitura!
0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário