Resenha: Diário de uma ansiosa ou como parei de me sabotar

Oi gente, tudo bem? Por aqui tudo bem também.
A leitura anda meio devagar nessas últimas semanas, e a vida não anda permitindo atualizar nem as leituras nem as resenhas. Mas por conta de alguns pedidos, vou postar sobre esse livro porque sim.
Fugindo do lugar-comum, escolhi esse livro por conta de um momento que tenho vivenciado, e imaginei que lê-lo poderia dar uma luz sobre o que pensar ou até mesmo como agir. Não é um livro de autoajuda, é mais como um diário de bordo sobre como a autora lida com algumas situações que, para muita gente, é muito comum.
#antestardedoquemaistarde
Bora conhecer?!

Título: Diário de uma ansiosa ou como parei de me sabotar
Autora: Beth Evans
Sinopse:
Com ilustrações bem-humoradas, Beth Evans escreve sobre depressão, ansiedade, formulário, boletos e outros desafios para se tornar um adulto. A vida adulta não é fácil. E quem nunca fuxicou as redes sociais de amigos bem-sucedidos, só para se comparar, e acabou se sentindo pior ainda, que atire a primeira pedra. Contando suas próprias histórias vergonhosas, e outras mais sérias como depressão e TOC, a autora consegue extrair lições valiosas, sem perder a leveza diante da seriedade de diversos assuntos. Este livro é repleto de conselhos amigáveis sobre como cuidar de si mesmo, como procurar ajuda (não importa quais sejam seus problemas) e agarrar-se aquilo que te faz feliz – seja uma banda, seja uma maratona da Netflix. Beth Evans é uma contadora de histórias supercriativa, e seus desenhos complementam suas palavras com um humor único. Diário de uma ansiosa ou como parei de me sabotar é como um abraço do seu melhor amigo naqueles dias sofríveis. E, como melhor amigo, está aqui para dizer: "Você consegue!".
De forma simples e divertida, Beth relata algumas situações pelas quais passou por conta da ansiedade, TOC e depressão. Em sua vida, esses três elementos estão diretamente ligados.

Apesar de me sentir “levemente” ansiosa em alguns momentos, não posso dizer que me identifiquei com as histórias de Beth, porque para ela é tudo mais. Suas dificuldades por conta da ansiedade a impede, de por exemplo, ir ao último show da vida de sua banda preferida. E isso porque a aglomeração de pessoas, o barulho alto e a incerteza do que pode acontecer a faz temer sua reação, e principalmente a reação das pessoas frente à sua própria.

Beth relata que seu maior desafio é de se parecer legal ou boa pessoa para os demais, e ao perceber que esse não é o objetivo da vida, de se reconhecer e aceitar-se com todos os defeitos e ressaltar suas qualidades, ela consegue lidar melhor com seus sentimentos.

Como são relatos de sua experiência própria, Beth nos conta como foi passar por algumas situações e o que tenta absorver com cada uma delas, e o quanto a família e amigos são importantes nesse processo. O livro é repleto de suas próprias ilustrações que complementam suas histórias, e conseguem dar uma certa leveza ao tema.

Independente de você se familiarizar com esse tipo de livro ou não, a sensação que tive é de estar conversando com uma amiga e ouvindo seus conselhos sobre como lidar, como identificar e com o que se importar de fato. É um relato sincero e profundo, com carinha de diário, e que pode servir de consulta para qualquer um que se deparar com alguma situação semelhante.

Nota:




Beijo

Boa leitura!
0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário